MercadoMóveis gera mais de 3,5 mil empregos e já pagou R$ 172 milhões em impostos

A prefeitura de Ponta Grossa está cobrando 02 vezes o mesmo imposto que a empresa já pagou em PG e em outras cidades. 

Em uma nota divulgada recentemente a empresa fala da quantidade de impostos que pagou aos governo federal, estadual e municipal e também ressalta que está questionando judicialmente a prefeitura pela cobrança indevida. 

Todos sabem que a tal da divulgação da lista de devedores é uma forma vergonhosa e desnecessária da prefeitura tentar expor quem gera empregos, além de ser uma descarada perseguição política do prefeito selfie e de seus cupinchas. 

NOTA INTEGRAL

A REDE MERCADOMÓVEIS LTDA, em respeito aos clientes, aos colaboradores, à sociedade e à legislação, esclarece que:

A empresa, mesmo em uma crise aguda que o país atravessa, cumpre com seu papel na sociedade, gerando mais de 3,5 mil empregos diretos e indiretos e recolhendo rigorosamente seus impostos que apenas nos últimos 5 anos somaram R$ 172,5 milhões nas esferas federal, estadual e municipal, além de 74 milhões em encargos sociais.

Os débitos mencionados estão sendo discutidos judicialmente em ação própria, onde o MM expõe à Justiça os motivos pelos quais a cobrança é indevida por parte do Município de Ponta Grossa pois segundo jurisprudência do Supremo Tribunal Federal (STF), a competência de tributação é o local onde ocorre a prestação de serviços, isto é, em cada filial da empresa.

Mesmo que a cobrança seja entendida como indevida pelo jurídico do MM, enquanto se discute na justiça, a empresa já ofereceu bens imóveis como garantia destes débitos em discussão, sendo que o valor destes imóveis é superior ao valor de tais débitos. Resta apenas a aceitação da Prefeitura de Ponta Grossa sobre os mesmos de modo que em nenhum momento haverá prejuízo ao Município.

Por fim, destaca-se que enquanto há discussão jurídica, a não divulgação pública de lista de devedores municipais tem base legal e constitucional e não se resume unicamente à empresa, mas estende-se a todo cidadão comum que tendo uma dívida indevida sendo discutida, poderia também ter seu nome veiculado em “listas”, sofrendo constrangimento e abalo à sua imagem perante à comunidade em que vive.


Neste momento que vivemos um cenário de divulgações e ilações, muitas vezes sem provas, que afetam toda a nossa sociedade, a Rede MM mostra-se indignada com a publicação de tais dados que podem denegrir mais de três décadas de trabalho, ética e dignidade.

Comentários